20/04/2016

NÃO VAI TER ÓDIO

Você acredita em um país melhor, mais democrático, mais humano, mais inclusivo...

Fonte da Imagem: Humaniza Redes.
Acorda de manhã e abre qualquer site de notícia na internet, ou mesmo qualquer jornal e/ou revista, ou entra no facebook, e PÁ! Leva um soco na boca do estômago. Um soco daqueles de revirar as entranhas e ficar sem reação, nem tanto pela dor do golpe, mas por perc
eber que aquilo tudo é um misto de ódio, desinformação, parcialidades, interesses individuais, tudo isso coroado por uma mídia que a cada dia perde o resto de decência e imparcialidade que um dia lhe foram atribuídos (na verdade me pergunto se foram imparciais um dia...) e por uma representação política que não defende os interesses da sociedade brasileira e que ‘anda e caga’ para os pobres e para as minorias.

Eu fico pensando no que é pior: a desinformação que circula livremente entre as pessoas; ou o ódio generalizado que se traveste de patriotismo/civismo/politicismo, ou pior: se traveste de religião e amor a Deus...

Não consigo chegar a um consenso. Vejo isso tudo como algo tão negativo a tudo e a todos que fica difícil eleger o que é pior.

A desinformação está aí, gratuita e sendo reproduzida diariamente, muitas vezes criada pela grande mídia (em especial a Globo [e olha que já fui fã da globo um dia...]) e compartilhada por milhares de pessoas como se fosse uma verdade! Além disso, temos os próprios políticos (que para minha tristeza representam, muitas vezes, o que seus eleitores pensam), que saem por aí regurgitando suas ideologias ultrapassadas, extremistas e fundamentalistas, arrastando com eles uma multidão de regurgitadores e reprodutores de conteúdo machista, preconceituoso (de muitas maneiras), lgbtfóbico, etc.; ou mesmo figuras públicas na televisão e no rádio, que cospem suas opiniões na cara das pessoas diariamente, fazem apologia ao ódio e à violência e que conseguem fazer também com que multidões de cuspidores de regras, ódio e violência compartilhem suas ideias. Sem falar no fato de que esse povo tem mania de colocar o nome de Deus em tudo. DEUS NÃO TEM NADA A VER COM ESSA SAFADEZA DE VOCÊS, hipócritas!

Mas o ódio também está entre nós! Penso que se as pessoas não fossem tão cheias de ódio essa palhaçada toda não teria tanta força. Se houvesse menos ódio, certamente haveria menos desinformação, menos fundamentalismo, menos crimes, menos violência.

Haveria mais amor. Mais compreensão. Mais reflexão!

Estamos passando por uma fase crucial em termos de política no país. E não falo da palhaçada ofertada no circo comandado por Eduardo Cunha (para mim um dos maiores ladrões da história política brasileira) no dia 17/04/2016. Aquilo, para mim, não foi um ato político: foi um ato criminoso!

Falo da percepção, mesmo que equivocada, da sociedade com relação ao papel dos políticos em nos representar no governo (Municipal, Estadual e Federal).

Falo da percepção de que a corrupção se institucionalizou na sociedade brasileira de tal modo que é difícil encontrar o ponto central desse mal. E com isso digo: a corrupção não ocorre no país por um único partido, ou por uma presidenta (presidentA sim!). A corrupção ocorre e está presente em todas as esferas da sociedade e é isso que legitima a extensão da corrupção para nossos governos.

Isso é um problema de a sociedade brasileira não saber votar? Também, pois se votassem de forma consciente talvez houvesse menos crápulas ocupando cargos de representação nas instâncias governamentais.

Mas é um problema maior ainda em função de a sociedade brasileira, pelo menos grande parte dela, não conseguir refletir no que se passa ao seu redor, no que acontece no dia a dia da política, no que a televisão cospe diariamente para dentro de suas casas.

É um problema o fato de o brasileiro pensar naquele ‘jeitinho’ para as coisas que não têm jeito.

É um problema o fato de muita gente dizer: ‘fulano rouba, mas faz!’.

É um problema o machismo nacionalizado que nunca aceitou uma mulher na presidência do Brasil.

É um problema a homofobia que não vê com bons olhos qualquer pessoa que não se enquadra  nos padrões de uma sociedade machista e heteronormativa.

Ainda, é um problema enorme a questão de muitos cidadãos e cidadãs brasileiras terem dificuldade em enxergar e respeitar o que lhes é diferente, seja na questão sexual, racial, religiosa, ideológica, etc.

É um problema não ver o outro pelo que ele é: uma pessoa, cheia de anseios, necessidades, problemas, amores, dúvidas... como todo mundo...

No entanto, mesmo com uma sociedade cheia de problemas (e olha que tem muito lugar no mundo pior do que aqui), ainda acredito no amor, na democracia, na justiça, na igualdade. Acredito que estamos muito longe disso e que só conseguiremos alcançar essa sociedade quando não tivermos mais representantes que elogiem a ditadura, preguem o machismo, reproduzam a intolerância religiosa (que, aliás, deveria passar longe da política uma vez que este país se quer Laico) e que, de fato, se preocupem com a sociedade de modo geral, não apenas com suas famílias, seus amigos, suas empresas.


Resumindo: mesmo levando, diariamente, socos na boca do estômago eu acredito no Brasil!

#nãovaiteródio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião...

Apenas tenha bom senso e seja educada/o

:)